Faculdade Padrão


____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

sexta-feira, 27 de março de 2015

Marconi Fala Sobre Decisão do STF Que Impede a Continuidade do Serviço Militar Voluntário

Como o senhor analisa a decisão do STF barrando o Simve?
Marcon Perillo – Olha, decisão do judiciário a gente respeita e acata. O que nós vamos fazer agora é aguardar os termos da decisão final e procurar as alternativas para que a sociedade possa continuar tendo policiais nas ruas. Com o Simve, nós conseguimos recrutar policiais bem formados no Exército, homens que passaram cinco a sete anos lá. Foram muito bem treinados no Exército. Fizemos um curso, colocamos esses homens nas ruas. Isso significou 2.500 homens a mais na defesa social, na defesa do povo contra a violência, contra a criminalidade.

O que fazer agora depois dessa decisão?
Marconi Perillo - Uma das alternativas nossas será trabalhar junto ao Congresso nacional para que uma proposta de emenda à Constituição seja aprovada e, com isso, essas questões relacionadas à inconstitucionalidade possam ser afastadas.

Marconi Entrega R$ 40 Milhões em Obras de Infraestrutura na Região Sudeste de Goiás


O governador Marconi Perillo entregou nesta sexta-feira, 27, um total de R$ 39,1 milhões em obras de infraestrutura nos municípios de Ipameri, Catalão e Campo Alegre, localizados na região Sudeste do Estado. Os benefícios são referentes aos programas Rodovia Construção e Urbano, além do Cheque Mais Moradia e Cheque Reforma.
Em Ipameri e Campo Alegre, o governador inaugurou a reconstrução da GO-213, trecho do entroncamento entre os dois municípios, com a pavimentação de 56,2 quilômetros de extensão. A revitalização permitirá fluxo mais rápido pelo percurso de Ipameri a Brasília, pelo acesso direto às BRs-050/040.
A obra recebeu investimento de R$ 38,1 milhões do Tesouro estadual. Foram realizados serviços de pavimentação asfáltica, terraplanagem, drenagem superficial, sinalização vertical e horizontal e obras complementares.
Marconi ressaltou que a nova rodovia será fundamental para o tráfego não apenas de empresários e motoristas de grandes veículos, como ônibus e caminhão, mas também para a população em geral, desde estudantes, pequenos produtores até os cidadãos que residem na zona rural. “Essa obra tem caráter econômico, mas também social“, destacou.
Prefeita de Ipameri, Daniela Carneiro agradeceu o empenho do governador em viabilizar a execução da obra e pontuou que a inauguração da reconstrução da GO-213 representa momento histórico para os ipamerinos. “Muita gente não acreditava que ela seria concluída, mas nós nunca tivemos dúvida, porque sabemos que senhor, governador, é um homem de palavra, de honrar os seus compromissos. E hoje estamos vendo essa realidade sendo entregue aos municípios de Ipameri e Campo Alegre e que muito irá nos ajudar no desenvolvimento das nossas cidades”, agradeceu.
“A inauguração dessa grandiosa rodovia é motivo de muito orgulho e honra para mim e para os moradores de Campo Alegre. Sei que com a ajuda do senhor podemos chegar ainda mais longe”, comemorou o prefeito de Campo Alegre, Thiago Manteiga.
O governador lembrou que a primeira vez em que ouviu falar da importância da GO-213 foi em 1983, durante a pré-candidatura de Henrique Santillo ao Governo de Goiás, e que por isso se sentia realizado em entregar hoje o benefício ao município. “Eu não diria que esse é um presente do Governo do Estado ao povo de Ipameri, porque esse é um direito de vocês. Eu apenas sou o interlocutor para entregar esse direito que vocês reivindicam há tantos anos. Fico feliz, porque estou pagando um compromisso que fiz com Ipameri e região”, afiançou.

Habitação
Na área habitacional, o Governo de Goiás entregou em Ipameri Cheques Comunitários para construção das praças Vila Enedina e Nego Menino, no valor de R$ 20 mil cada. No total, cada praça receberá investimentos de R$ 60 mil, entregues em três etapas, totalizando R$ 120 mil.
Após a solenidade, foi assinada no município a Ordem de Serviço para início imediato da construção de 69 unidades habitacionais no loteamento Enedina Oliveira e Silva II, com recursos provenientes do Cheque Mais Moradia, em parceria com o Governo Federal, por meio do FGTS, no valor total de R$ 3,2 milhões.
Em Catalão, foram entregues Cheques Mais Moradia para 40 famílias moradoras de casas de placas, no valor de R$ 200 mil referentes à primeira etapa de um total de R$ 400 mil. Os recursos serão utilizados para a substituição de placas de cimento por tijolos de alvenaria, para dar conforto térmico às famílias. Outros 184 Cheques Reforma, destinados a famílias sem condições de arcar com melhorias, também foram entregues na cidade, no valor total de R$ 522 mil.
“Hoje estamos vindo aqui para entregar benefícios sociais, benefícios para as famílias. Quando a gente inaugura uma estrada, esse é um benefício coletivo, para todos. Aqui em Catalão nós estamos entregando um benefício individual para cada família melhorar ou construir a sua casa. Não há nada mais sagrado na vida do que a casa onde morar”, salientou o governador.
Ele pontuou ainda que o governo estadual tem priorizado os recursos financeiros em investimentos para obras e benefícios sociais. “Fazer grandes obras nós fizemos, estamos fazendo e vamos fazer. Mas nós também queremos fazer essas pequenas obras que são muito importantes para a vida de quem recebe. Essas são as placas de ouro que a gente planta no coração das pessoas, principalmente dos mais humildes”, salientou o governador.
Prefeito de Catalão, Jardel Sebba ressaltou a dedicação do governador em realizar obras sociais no Estado. “É muita alegria e satisfação podermos levar benefícios às pessoas que precisam. O governador Marconi nos inspira na sua seriedade, que para mim é um exemplo. Espero que essa de hoje seja a primeira de muitas entregas feitas pelo governador nesse novo mandato”, disse.
A comitiva que acompanhou o governador nos três municípios do Sudeste goiano foi composta pela deputada federal Magda Mofatto; pelos deputados estaduais Marquinho Palmerston e Lucas Calil; pelo secretário de Estado de Gestão e Planejamento, Thiago Peixoto; pelo presidente da Agência Goiana de Habitação, Luiz Stival; além vereadores e representantes de sindicatos e entidades classistas.



Governo do Maranhão Busca em Goiás Referências de Programas e Obras Bem-Sucedidos


Comitiva maranhense é a quarta entre administrações estaduais a buscar referências de programas do governo Marconi Perillo com intuito de implantá-las em suas gestões

Atualizada às 19h40, com informações da visita à Agetop

Gabinete de Imprensa do Governador, com Comunicações Setoriais da Saúde, da SSPGO e da Agetop – O governador Marconi Perillo recebeu nesta sexta-feira (27/3) em Goiânia comitiva do Estado do Maranhão, liderada pelo vice-governador Carlos Brandão (PSDB), que veio a Goiás conhecer obras e programas bem-sucedidos desenvolvimentos pela administração goiana. Brandão disse a Marconi que as ações do Governo de Goiás em Saúde, Educação, Segurança Pública e Infraestrutura são destaque no País em função de seu sucesso e modernidade e que o Estado do Maranhão quer utilizá-las na administração do governador Flávio Dino (PCdoB).

O Estado do Maranhão é a quarta gestão estadual a vir a Goiás para conhecer obras e programas bem-sucedidos da gestão de Marconi Perillo. Também neste ano estiveram no Estado, em encontro com o governador, comitivas dos governos de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Alagoas. A comitiva maranhense foi recebida por Marconi em encontro na Sala de Reuniões do 10º andar do Palácio Pedro Ludovico Teixeira. Acompanharam o vice-governador Carlos Brandão os secretários Marcellus Alves (Fazenda), Áurea Regina (Educação) e José Gabriel (adjunto da Agricultura). Da equipe de auxiliares do governador Marconi Perillo participaram o vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Pecuária e Irrigação, José Eliton; o secretário da Saúde, Leonardo Vilela, o secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, Joaquim Mesquita (Segurança), o secretário de Gestão e Planejamento, Thiago Peixoto e o diretor de Obras Rodoviárias da Agência Goiana de Transportes e Obras, Marcos Musse.

O vice-governador do Maranhão disse que a gestão Flávio Dino assumiu o governo do Estado em 1º de janeiro deste ano diante de "desafios de toda ordem e sem limites" e que está "buscando em Estados com administrações e governantes modernos como Goiás as boas iniciativas, programas e obras capazes de promover as transformações que a gestão de Marconi já vem implantando em seus governos". Marconi agradeceu a visita e falou sobre diversos programas, como a gestão por Organizações Sociais (OSs), os investimentos em inteligência policial, os programas que diminuíram a evasão escolar e levaram a rede pública estadual ao 1º lugar no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e as providências tomadas para a viabilização do programa de pavimentação, reconstrução e manutenção rodoviária e pavimentação urbana, o Rodovida.

Após o encontro com o governador, a comitiva maranhense visitou as instalações do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) e do Centro Integrado de Inteligência, Comando e Controle (CIICC). Em seguida, o grupo fez uma visita à sede da Agetop, na BR-153. Nas três reuniões técnicas, os secretários Leonardo Vilela e Joaquim Mesquita, além do diretor de Obras Rodoviárias da Agetop, Marcos Musse, detalharam os programas de gestão de suas áreas. O secretário da Saúde apresentou o modelo de gestão por Organizações Sociais (OSs). Joaquim Mesquita falou da estruturação do CIICC; Musse apresentou o Fundo de Transportes e a modelagem de licitações das diferentes modelagens do Rodovida.

Hugo
Depois dos governadores de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Alagoas, quem visitou o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) na tarde desta sexta-feira foi o vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão (PSDB). Brandão e o governador do seu estado, Flávio Dino (PCdoB), procuram o modelo adequado para gestão para Saúde do Maranhão e encontraram, em Goiás, inspiração para superar gargalos históricos no atendimento médico-hospitalar do estado deles: "Experiências boas a gente tem que copiar. Não adianta inventar. É copiar", disse Brandão.

Na opinião do vice-governador, além da falta recursos, a crise da saúde pública pelo Brasil afora é resultado também de falta de gestão. "A gente precisa utilizar esses recursos com eficiência e eficácia, senão a gente não consegue", afirma o tucano. "O modelo de gestão de lá [Maranhão] é meio ultrapassado, com excesso de gastos públicos na Saúde e recursos mal aplicados. Por isso a premissa da nossa visita foi incorporar experiências que deram certo e levá-las para o nosso Estado". 

Brandão recomenda aos chefes de poder Executivo das outras unidades da Federação que também visitem Goiás para conhecer o modelo de gestão compartilhada criado pelo governador Marconi Perillo (PSDB). Ele próprio pediu ao seu secretário de Saúde que se reúna com o secretário de Saúde goiano, Leonardo Vilela, para conhecer detalhes do modelo. "Fiquei muito impressionado com o serviço que está sendo prestado aqui pelas OS. É um serviço de qualidade e eficiente. Por isso nós vimos lá do Maranhão exatamente para copiar as boas experiências". 

Brandão levou para casa um estudo que mostra, em números, a evolução no atendimento do Hugo desde que começou a gestão compartilhada da unidade. O número de leitos, por exemplo, cresceu de 235 para 407. Leitos de UTI, que eram 44, agora são 58. Houve aumento de 40% nos atendimentos e o número de cirurgias chegou a 1,5 mil (neste indicador, o avanço foi de 84%). Sem contar as obras de ampliação e reforma, que, nas palavras do secretário Leonardo Vilela, "fazem do Hugo um hospital melhor que os hospitais particulares". 

As visitas dos governadores do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul ao Hugo aconteceram no dia 5 de março. Ambos disseram, a exemplo de Carlos Brandão, que estudam adotar a experiência de Goiás em seus estados. "Este modelo que deve ser seguido pelos outros Estados. Funciona bem. É um trabalho de excelência", afirmou o governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja."Vi um hospital limpo, atendimento de qualidade, pacientes satisfeitos e servidores felizes. É uma experiência exitosa que, com certeza, terá de ser difundida pelo País. Voltaremos para casa com compromisso de fazer algo semelhante".  

O governador do Mato Grosso, Pedro Taques (PDT), afirmou que o modelo de gestão hospitalar criado por Marconi será usado para balizar o funcionamento do novo hospital regional de Cuiabá, que em breve começará a ser construído e que terá 300 leitos. “O meu secretário de Saúde virá aqui para ver o antes e o depois. O antes está na fotografia, que é o passado. E agora a realidade é um hospital de alta qualidade”.

Segurança Pública
Na Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária, o vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão, conheceu as instalações do Centro Integrado de Inteligência Comando e Controle (CIICC). Brandão demonstrou particular interesse no monitoramento de presos por meio de tornozeleiras eletrônicas, o videomonitoramento de Goiânia e os sistemas de tecnologia da informação da pasta.

Brandão lembrou que o estado nordestino já iniciou tratativas para uma parceria para repasse de alguns desenvolvidos em Goiás para a Secretaria da Segurança Pública do Maranhão. Entre os sistemas que estão envolvidos no convênio estão o Gescope, que permite o acompanhamento em tempo real de todas as ocorrências, monitoramento de presos, câmeras de segurança e posicionamento das viaturas em tempo real.
O secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária de Goiás, Joaquim Mesquita, informou que todos os sistemas serão disponibilizados para o Maranhão gratuitamente, assim como já ocorreu com outros Estados. “Como essas tecnologias foram desenvolvidas integralmente pela equipe de Tecnologia da Informação da SSPGO, estamos repassando sem custos”, disse.

Brandão também quis saber a situação da criminalidade em Goiás, principalmente em relação aos homicídios. Informado de que a motivação mais comum desses crimes no Estado são o envolvimento e tráfico de drogas, o vice-governador afirmou que a realidade é a mesma observada no Maranhão e no restante do País. 

O tucano também disse que há outros aspectos em comum entre o Maranhão e Goiás, em relação à criminalidade, como o alto índice de reincidência criminal, a melhoria do sistema penitenciário e alterações na legislação para que pessoas que cometem crimes graves fiquem presas por mais tempo. “Precisamos utilizar esse diagnóstico para desenvolver ações a curto, médio e longo prazos em todo o País”, afirmou.


Agetop e Rodovida



Da Secretaria de Segurança Pública, o vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão, seguiu para a Agetop. Brandão foi recepcionado pelo vice-governador José Eliton e pelo diretor de Obras Rodoviárias da Agetop, Marcos Musse. Na visita técnica, Brandão conheceu o Fundo de Transportes, as modalidades do Rodovida e o Aeroporto de Cargas de Anápolis.

O vice-governador maranhense se disse "muito impressionado" com as obras de duplicação e iluminação das rodovias estaduais que interligam a capital ao interior, já concluídas. "Sem dúvida, conhecer o Fundo de Transportes, por seu caráter inovador e eficiente, foi um dos pontos altos de nossa visita a Goiás", disse o vice-governador do Maranhão.

Brandão se disse principalmente interessado no Rodovida Reconstrução, porque, segundo ele, "o governo Flávio Dino assumiu com as rodovias maranhenses em péssimas condições e com demanda urgente de reconstrução". José Eliton e Musse apresentaram a Brandão o Aeroporto de Cargas de Anápolis e informaram que com a conclusão das obras da pista começam agora os projetos de execução do terminal de carga e descargas, que incluirá uma modalidade para transporte de passageiros e tripulações.

Alta do Dólar Provoca Aumento dos Preços das Frutas Importadas. Pode Faltar Maça e Pêra

Muita gente não se importa com a alta do dólar, porque não tem negócios em dólar e por isso mesmo acredita estar imune ao impacto da alta da moeda americana em território brasileiro.

Ledo engano, todos nós sofremos impacto quase que imediato da desvalorização do real diante do dólar. Para perceber isso  não precisa ir longe, basta ir no supermercado ou até mesmo no mercadinho da esquina.

O preço das frutas têm registrado aumento considerável nos últimos dias devido a alta do dólar, que gira em torno de R$ 3,30. Isso porque algumas frutas são importadas.

Quando o dólar sobe de preço e o real desvaloriza, as exportações são beneficiadas. Em contrapartida, para o consumidor interno é negativo, porque traz produtos com custo maior.

André Watanabe - Presidente da UNIAP
 André Watanabe, presidente da União de Atacadistas e Produtores de Hortifrutigranjeiros do Estado de Goiás (UNIAP) é proprietário do Box “Frutas Especiais”, onde comercializa frutas nobres. André está preocupado não só com alta, mas até mesmo com um desabastecimento principalmente da Pêra e Maça argentina.

"Realmente, o impacto da alta do dólar é notório na comercialização das frutas importadas, no mercado da Ceasa-GO. E para a complicar ainda mais a situação, o Governo Federal, através do Ministério da Agricultura, proibiu temporariamente a importação da maçã, pera e marmelo da Argentina, por causa da praga "Cydia Pomonella", também conhecida como "Traça da maçã." Afirma André.


A suspensão dos produtos será válida até que o sistema argentino para mitigação de riscos seja reavaliado.

A ministra Kátia Abreu afirmou que todos os cuidados foram tomados. "Na questão de defesa sanitária e controle de pragas e doenças, o Brasil não pode transigir. A tolerância será zero, independentemente do parceiro comercial", afirmou.


A pasta informou, ainda, que no primeiro trimestre de 2015 interceptou a presença de insetos vivos de Cydia pomonella (traça da maçã) em 15 carregamentos de pera e maçã importados da Argentina.

"Uma auditoria oficial do Brasil no sistema de mitigação de risco da Argentina estava programada para o mês de março, mas, a pedido daquele país, foi postergada para abril. Recentemente, o governo argentino solicitou mais uma vez o adiamento da auditoria", informou o ministério.


O ministério disse também entender que é necessário manter a data anteriormente acordada para que seja possível inspecionar as plantas ainda no campo, considerando o período produtivo das lavouras.
O Ministério da Agricultura da Argentina informou que o atual comércio de maçãs, peras e marmelos da Argentina para o Brasil é coberto em um acordo bilateral fitossanitário, por meio de um programa que oferece garantias suficientes em matéria de proteção fitossanitária ao país vizinho", disse o ministério argentino.
O Brasil já havia ameaçado um bloqueio às importações de maçã argentina, caso o governo argentino não permitisse que técnicos brasileiros inspecionem áreas no país vizinho suspeitas de ter uma praga que ataca as macieiras, segundo fontes do governo brasileiro.
De acordo com a Argentina, auditorias realizadas por inspetores do Brasil neste programa têm dado resultados favoráveis, e o país levou em conta imediatamente e implementou soluções para todas as observações específicas feitas pelos auditores.
"A Argentina confirmou para 8 de abril a visita de inspeção dos auditores brasileiros em unidades de embalagem e pomares, sob o Sistema de Mitigação de Riscos de praga acordado por ambos os países", disse o Ministério da Agricultura.
De acordo com dados do Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar (Senasa), durante o ano de 2014 a Argentina exportou mais de 137 mil toneladas de peras e mais de 49 mil toneladas de maçãs certificadas para o Brasil.
Gerente da Divisão Técnica da Ceasa-GO, Josué Lopes
Para o gerente da Divisão Técnica da Ceasa-GO, Josué Lopes, além da alta dos preços, o mercado poderá sofrer com o desabastecimento destes produtos, principalmente, a pera importada da Argentina. De acordo com Josué, a Maça argentina já sofreu um aumento de 38% de janeiro até hoje. A Pêra da argentina aumentou na ordem de 20%.

Se o problema com a Argentina for resolvido, nos próximos 10 dias vai faltar pêra e maça no mercado brasileiro.

Em relação aos legumes e verduras, o mercado está mais sensível aos preços dos combustíveis, principalmente ao aumento do diesel. Para não repassar o aumento para os consumidores alguns atacadistas estão cortando custos, como é o caso de Dione Uto, da Comercial UTO, estabelecida no Ceasa-GO.

Dione afirma que teve que corta custo, para manter os preços no atacado, mas que em algum momento não vai dar para segurar e isso vai acabar sendo repassado para os comerciantes e consequentemente para o consumidor, principalmente se o diesel passar de R$3,00.

Cerâmicas de Carlos Antônio Serão Expostas no Palácio Pedro Ludovico Teixeira

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação (SED), por meio da Gerência de Artesanato, realiza, na próxima segunda-feira, 30 de março, às 10h, abertura da 13ª edição do Goiás Mostra Artesanato, no hall de entrada do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, na Praça Cívica. Serão expostas 20 peças de cerâmica do artesão Carlos Antônio, de Aparecida de Goiânia, um mestre na recriação das situações da vida simples do homem do campo. A mostra fica aberta à visitação até o dia 10 de abril.


O Goiás Mostra Artesanato é um projeto da Gerência de Artesanato que tem por objetivo expor a qualidade da produção artesanal do estado de Goiás, dando aos artesãos a possibilidade de apresentar o seu trabalho individualmente. 

O artesão e sua obra 
Carlos Antônio nasceu na roça e carrega a roça consigo. A mulher no pilão, catando o milho na peneira ou moendo café, o homem vendendo pequi, na prosa com o amigo ou no trabalho, tudo vira arte nas mãos habilidosas do artesão. A riqueza de detalhes e o acabamento de suas peças valorizam a sua criação e o destaca como um dos mais respeitados artesãos do estado.

Suas obras já foram expostas em São Paulo e em outros estados. Para ele, o objetivo do seu trabalho é registrar o cenário ainda comum em muitos lugares no país, mas, que poucas crianças e jovens conhecem. Segundo o gerente de Artesanato da SED, André Franco, as cerâmicas de Carlos Antonio retratam a vida simples do campo, um Goiás que pouco a pouco vai deixando de existir. A exposição fica aberta diariamente no horário comercial.

Parcerias Entre SED e Sebrae-GO São Discutidas em Reunião




O secretário de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação, José Eliton, esteve reunido com o diretor-superintendente do Sebrae-GO, Igor Montenegro. Um dos principais objetivos do encontro foi estreitar relações entre o Governo de Goiás, por meio da SED, com a entidade e, com isso, garantir a realização de ações e projetos que fortaleçam o empreendedorismo goiano. 


“Sem dúvida, precisamos de parcerias com entidades como o Sebrae-GO. É um caminho para conseguirmos ainda mais resultados positivos para a economia do Estado”, declarou José Eliton.

Na ocasião, ficou acertado que SED e Sebrae-GO farão avaliações e estudos técnicos que resultem em programas para fomentar o empreendedorismo e capacitar profissionais. De acordo com Igor Montenegro, micro e pequenas empresas – segundo ele, estas totalizam 96,5% - são o principal foco das futuras parcerias com o Governo do Estado. “São empresas que têm uma parcela de responsabilidade muito grande na economia goiana”, explica.

De acordo com o diretor-superintendente do Sebrae-GO, a entidade ainda pretende trabalhar junto à SED em estratégias de apoio às exportações. E existe a intenção de se criar mecanismos que facilitem o acesso ao crédito. A equipe do Sebrae também apresentou ao vice-governador os projetos existentes nas áreas de agricultura, comércio exterior e tecnologia.

Levantamento
José Eliton solicitou aos superintendentes da Secretaria de Desenvolvimento Econômico que seja feito levantamento de programas direcionados ao empreendedorismo e que são executados pelo Governo de Goiás, além de avaliarem em quais o Sebrae-GO pode ter participação ativa. Ao final do encontro, Igor Montenegro convidou o titular da SED e demais integrantes da equipe técnica da Secretaria de Desenvolvimento Econômico para que participem do planejamento estratégico da entidade.

A reunião contou com a presença dos superintendentes executivos da Secretaria: Luiz Maronezi, William O’Dweyer (Comércio Exterior), Antônio Flávio de Lima (Agricultura e Pecuária), Danilo Freitas (Desenvolvimento Regional) e Mauro Faiad (Ciência e Tecnologia). Além deles, participaram o superintendente de Micro e Pequenas Empresas, Thiago Falbo; o superintendente de Gestão, Planejamento e Finanças, Wagner Portela; e o gerente do Programa de Desenvolvimento Regional, Régis de Oliveira.

Fotos: Jayr Inácio

Quem é Oportunista?

Por Jean Carlo dos Santos

Recentemente, o senador Ronaldo Caiado afirmou: “Marconi desrespeita seu partido ao defender Dilma. Se diz estadista, republicano e não oposição. Quer dizer que ele acha o PSDB golpista? Oportunista é o único adjetivo que veste Marconi.”

Pois bem, em primeiro lugar, é preciso abstrair o excesso verborrágico do ilustre senador, que não compreende a inadequação do comportamento a um representante da Câmara Alta do Congresso Nacional, que deve pautar sua conduta pessoal e verbal dentro de parâmetros de civilidade.

Feito isso, a assertiva merece uma reflexão histórica para enxergar a quem cai bem a adjetivação por ele atribuída ao governador Marconi Perillo.

A história de Goiás e do Brasil nos remete a um passado cheio de indícios daquilo que pode definir a questão posta sob análise: afinal, quem é oportunista?

Em um passado, ainda dolorosamente relembrado pelos goianos, qual foi o clã que mais apoiou, que foi conivente e beneficiário de um triste período de autoritarismo no país?

Por que este clã hoje critica aquilo que denomina de ditadura que, até onde se sabe, foi democraticamente eleita e não nomeada bionicamente? Qual clã conseguiu ascender ao poder no Estado indicado, bionicamente, pelo regime de exceção, que apoiou o período de maior repressão das liberdades individuais?

Quem se recorda do famoso episódio Tesoura/Aricá, e, ironicamente, quem hoje grita pelo afastamento de um governo eleito?

Nas décadas de 1980 e 1990 do século passado, quem andava montado em um cavalo branco bradando contra aquilo que denominava “desmandos do PMDB”? Quem atacava impiedosamente Iris Rezende e companhia e quem hoje vive de braços dados com os mesmos a quem condenou no passado?

Quem, quando o povo brasileiro saiu às ruas, indignado com a corrupção, com a inoperância, com o confisco da poupança, com a instabilidade generalizada no país, pedindo o impedimento de um presidente da república, se postou contra a voz rouca das ruas e, na defesa de seus interesses, pouco se lixando para o Brasil, votou a favor da permanência do então presidente Fernando Collor?

Quem combateu duramente a candidatura de Alcides Rodrigues, então candidato do governador Marconi Perillo em 2006 e, depois, apoiou o governo mais pífio da história de Goiás para obter benesses?

Quem, ao final da tinta da caneta, abandonou o governador Alcides e, convenientemente, apoiou o governador Marconi que tanto combatera, saindo em uma disfarçada campanha solo?

Quem brada, grita, rola, esperneia chamando de corruptos políticos do PT acusados de irregularidades e não diz uma palavra sobre políticos do DEM (Agripino, etc...) também acusados de irregularidades?

É a tal histórica: a métrica da régua é distinta para os adversários e aliados.

Quem dá um chilique pelo fato de o governador Marconi receber a presidente Dilma Rousseff e destacar seu respeito por ela, destacar as parcerias realizadas pelo Estado de Goiás e o Governo federal e não dá uma palavra, não faz uma censura ao presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, deputado Hélio de Sousa, do DEM, que também estava presente na solenidade?

Será que o doutor Hélio desrespeita o DEM? Acha que o DEM é golpista? Será que o doutor Hélio é oportunista?

E mais: quem, igualmente, não atirou contra o seu amigo, o prefeito de Salvador, ACM Neto, no momento em que ele manifestou publicamente apoio à presidente Dilma e ainda disse que a petista não merecia o protesto? Não custa lembrar que ACM é um dos históricos do DEM. As declarações do jovem líder foram feitas, de maneira estratégica, na véspera das manifestações contra a petista, no dia 15 de março.

Quem não levantou a voz contra esta declaração mais do que elogiosa de ACM Neto à presidente? Assim ele se expressou: “Dilma não merece o meu protesto. Com ela, o Brasil está pulsando, saudável. Salvador e região metropolitana estão sendo beneficiadas com importantes ações, como a conclusão do metrô, o BRT, a ampliação do Porto Marítimo, e tantos outras que visam melhorar a qualidade de vida dos baianos. Tem o meu profundo respeito e cordialidade mútua”.

Quem, agora, atira pedras contra Marconi se, no auge da campanha ao governo, respaldou integralmente o gesto de sua esposa? Gracinha compareceu em comício em Americano do Brasil, ao discursar, agradeceu o tucano pelas obras realizadas no município e em todo o Estado.

“Espero que o senhor seja reeleito para fazer mais por Americano do Brasil e por Goiás, com a graça de Deus”, disse ela diante do então candidato ao Governo. Depois, afirmou que também falava em nome do parlamentar seu marido.

Se você, prezado leitor, respondeu a todas indagações acima realizadas, e apontou Caiado, você está absolutamente correto.

Resta, portanto, a conclusão indiscutível, inquestionável: o maior oportunista da política de Goiás tem nome e sobrenome: Ronaldo Caiado. É... Contra fatos não há argumentos.

Faça o que eu falo, não faça o que eu faço – esse ditado caberia como luva para a mão do nobre senador.

Jean Carlo dos Santos é deputado estadual pelo PHS.




Goiás e Governo Federal Fazem Parceria Para Preservação da Água

O governador Marconi Perillo e a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, lançaram na manhã desta quinta-feira, 26, pacote de medidas destinadas à preservação da água no Estado de Goiás. O anúncio, que ocorreu no Centro Cultural Oscar Niemeyer, apresentou o Plano Estadual de Recursos Hídricos, que valerá pelos próximos 20 anos, e lançou editais de R$ 1,2 milhão para o Programa Produtor de Água e de R$ 3 milhões para o Programa Nascentes Vivas. No encontro, foram também entregues comendas e anunciada a realização do Fórum Goiano de Comitês de Bacias e do 17º Encontro Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas.

Em discurso durante a solenidade, o governador Marconi Perillo ressaltou o objetivo do Governo de Goiás em construir junto a parceiros, como municípios, governo federal e iniciativa privada, caminhos que garantam ao Estado desenvolvimento sustentável. “Nós temos procurado fazer nossa parte. Nós precisamos muito da parceria do Governo Federal. Precisamos muito da parceria da presidente Dilma Rousseff, da senhora ministra, do senhor presidente da Agência Nacional de Águas e de todos os parceiros envolvidos”, observou.

Marconi lembrou que Goiás, então sob a liderança dos ex-secretários Leonardo Vilela e Jacqueline Vieira, foi o primeiro Estado a regulamentar o código florestal da legislação estadual e que a atual gestão estadual construiu 70 estações de tratamento e finaliza outras 12 em construção. Ressaltou o investimento na área hídrica, com a construção de reservas que vão garantir o abastecimento de água nas duas principais regiões metropolitanas em Goiás até 2050 e citou que Goiânia, neste ano, já terá por volta de 90% de esgoto coletado e tratado. Somente nos últimos dois anos, o Governo de Goiás investiu na construção de 600 quilômetros de linhas coletoras de esgoto na região Noroeste da capital.

“Fizemos o diagnóstico em relação às áreas mais suscetíveis e que mais nos preocupam na questão hídrica. Selecionamos as 25 mais críticas, 48 intermediárias e as 172 onde não precisaremos ter preocupação nos próximos anos. Então já temos o mapeamento em relação ao que deveremos fazer como dever de casa, em parceria com o Ministério do Meio Ambiente, Ministério das Cidades, Governo Federal, Caixa Econômica Federal, nos próximos anos”, afiançou Marconi, garantindo que o início da iniciativa se dará pelos municípios mais críticos, de forma preventiva.

Secretário do Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos, Vilmar Rocha destacou em discurso os investimentos que vêm sendo feitos em Goiás com vistas à proteção das nascentes e mananciais e conservação dos reservatórios hídricos. “O Estado não está em situação crítica, mas não vamos esperar que fique”, afirmou.

Superintendente executiva do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Jacqueline Vieira ressaltou a importância da conscientização socioambiental que está sendo promovida pelo governo estadual. “O secretário Vilmar Rocha costuma dizer que o primeiro passo para uma grande revolução no mundo será a valorização da mulher. Eu completo dizendo que o segundo passo será a mudança de consciência ambiental. E eu espero que nós, em Goiás, sejamos vanguardistas nessa questão”, disse.

O presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu Guillo, falou sobre a necessidade do uso sustentável da água em todo o território nacional. “Não podemos perder a oportunidade que a atual crise de água no país está nos oferecendo para tomarmos consciência. Não podemos dar um passo para trás e fazer com que a memória da falta de água seja apagada com o retorno das chuvas. A abundância deve despertar a mudança de comportamento na sociedade brasileira”, alertou.

Também em discurso, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, afirmou que as parcerias desenvolvidas entre governos devem ser pautadas por diálogo e bom senso para que se conciliem os interesses da sociedade. “Ou a gente começa a trabalhar para assegurar de maneira sustentável as atividades econômicas desse país ou nós vamos continuar vivendo de problemas, e não de soluções. Eu não acredito em política ambiental que vive de problemas, eu acredito em política ambiental que vive de soluções e de fato se preocupa com o desenvolvimento e inclusão social do país”, atestou.

A ministra salientou que é preciso denunciar o que está errado na área ambiental do país, mas com sabedoria política para construir soluções em parcerias e com inclusão social. “Meio ambiente não é uma política de pequena escala, é uma política que deve estar no dia a dia de todos nós”, disse.

Estiveram também presentes na solenidade o vice-governador José Eliton; o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, Hélio de Sousa; o presidente da Saneago, José Taveira; o representante do Tribunal de Justiça de Goiás, desembargador Nicomedes Borges; além de secretários de Estado e autoridades ligadas a entidades ambientais.



Produtor de Água

O Programa Produtor de Água visa estimular a política de pagamento por serviços ambientais voltada à proteção hídrica. O Programa apoia projetos para a redução da erosão e do assoreamento de mananciais no meio rural, propiciando a melhoria da qualidade e a regulação da oferta da água. São 20 instituições envolvidas (estaduais, federais, municipais e representantes dos Recursos Hídricos e a Sociedade Civil), entre elas, Secima, ANA, prefeituras dos sete municípios que estão dentro da Bacia Hidrográfica do Ribeirão João Leite, na grande Goiânia e região metropolitana. O objetivo é garantir o abastecimento de água em Goiânia e região metropolitana, com água em quantidade e qualidade, garantindo o abastecimento de água para os próximos 25 anos.

A princípio, o Programa Produtor de Água do Ribeirão João Leite tem prazo para implantação e pagamento por serviços ambientais de cinco anos. Durante esse tempo serão executadas ações de recuperação ambiental da bacia e também o pagamento para o serviço. No período deve ser estudada a forma de dar continuidade ao projeto.

Para o abastecimento público, o Produtor de Água interfere nos custos finais do tratamento das águas, na melhoria das condições ambientais da bacia hidrográfica e de sua biodiversidade, na recarga das águas subterrâneas, na qualidade dos mananciais. É um programa de adesão voluntária, onde o Poder Público paga por serviços ambientais ao produtor rural que favorecer a manutenção, recuperação ou conservação dos solos e da água por meio de práticas conservacionistas.

Nascentes Vivas
Projeto idealizado para executar ações de recuperação e manutenção das nascentes. Parcerias junto aos municípios, usuários e produtores rurais, tornando possível a viabilização do processo de recuperar nascentes. É um grande processo de articulação entre pessoas interessadas e pessoas que tenham interesse nessa área para fazer a recuperação das nascentes. O objetivo é a recuperação ambiental das nascentes e seu entorno e o desenvolvimento da educação ambiental.

Plano Estadual de Recursos Hídricos
Tem a função de juntar o planejamento de todos os setores de usuários de água - abastecimento público, irrigação, geração de energia, transporte, pesca turismo, lazer etc. O plano traça perspectivas de abastecimento de todos esses setores e os orienta de forma que se consiga um horizonte de planejamento. O estudo enfoca um horizonte de 20 anos, realizado pelo Governo de Goiás em parceria com Ministério do Meio Ambiente através da secretaria nacional de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano, por meio do Programa Interáguas, com recursos do Banco Mundial. Com investimento de R$ 2,75 milhões, o plano está praticamente concluído.

Encontro Nacional de Bacias Hidrográficas (ENCOB)
Encontro nacional que reúne todos os comitês de bacias hidrográficas do Brasil, o Encob, é composto por representantes do Poder Público, usuários e sociedade civil. É um evento que compõe o sistema de gestão de água estadual e nacional, responsável por dizer como a água deve ser utilizada em determinada bacia hidrográfica. Será realizado em Caldas Novas, de 4 a 9 de outubro.

"Interesse da População de Goiás é o Que Importa", diz Marconi

O governador Marconi Perillo voltou a defender  a parceria administrativa como premissa da atuação dos governos e em benefício do desenvolvimento do País, especialmente em fases como a atual, de crise econômica. Ao pregar a mútua cooperação entre o governo federal, o Estado e os municípios, Marconi voltou a afirmar que manterá uma relação republicana e respeitosa com a presidente Dilma Rousseff e ressaltou que esse tem sido o comportamento dele em relação às prefeituras.


Ele falou sobre o assunto em três ocasiões nesta quinta-feira: em discurso durante o lançamento do Festival Gastronômico de São Simão, no pronunciamento de anúncio do Serviço de Atendimento Móvel do Ipasgo e na entrevista coletiva após este evento. Nas três ocasiões, o governador disse que a parceria administrativa entre as três esferas de governo deve prevalecer porque "o interesse da população de Goiás é o que importa" e que esses interesses se sobrepõem às "diferenças político-partidárias".


"Recentemente eu recebi aqui a presidente Dilma e a tratei com deferência, republicanismo e respeito. Muita gente me elogiou, muita gente me criticou. Não importa. O que está em jogo é o Estado de Goiás, é o povo de Goiás", afirmou o governador em discurso durante o lançamento do Festival Gastronômico de São Simão. "Nós vivemos hoje uma crise enorme no Brasil. Crise moral, ética, política, econômica, social, desemprego. Vivemos uma crise danada de grande. Se nós não nos juntarmos, nós vamos ter muita dificuldade para enfrentar e vencer os desafios", observou Marconi.


Ele citou como exemplo a parceria administrativa com o prefeito de São Simão, Márcio Vasconcelos – que é filiado ao PMDB –, presente na cerimônia. "Eu nunca disse ao prefeito Márcio que daria algo se ele me apoiasse a governador. Mas acho que o tratamento foi tão correto, honesto e sério, que ele tomou a decisão de deixar o candidato do partido dele e me apoiar. Isso aconteceu com ele e com dezenas de prefeitos, que fizeram isso exatamente porque não olhei cores partidárias. Eu me preocupei com o povo, com as tradições, com o desenvolvimento do Estado. É assim que tem que ser", afirmou.


Marconi voltou a dizer que a crise econômica é grave, com sério impacto sobre a arrecadação dos governos e que por isso se faz necessária a união de esforços para executar os projetos. "É uma crise sem precedentes. Sou governador pela quarta vez e não me lembro de uma crise tão difícil quanto essa que estamos vivendo agora. Por isso nós temos que nos juntar, temos que viabilizar condições para realizarmos os nossos projetos", afirmou. "Nós estamos no quinto mês seguido com queda de receita. Eu imagino as prefeituras, que dependem também de fundo de participação, de ICMS", disse ele.


Lembrou que, entre as razões das manifestações, em todo o País, está a cobrança dos cidadãos por maior eficiência do poder público na prestação de serviços. "Quando nos elegemos para um cargo, as pessoas esperam resultado rápido. As pessoas não têm paciência – e com razão", ponderou. "Eu fui candidato e as pessoas querem que eu resolva as coisas. Por isso a gente tem que ter muita inteligência, habilidade, respeito uns pelos outros, parcerias, união para que as coisas possam acontecer", disse.


Durante o pronunciamento no Ipasgo, o governador voltou a afirmar que sua atuação é voltada para a promoção dos interesses dos goianos. "A minha pretensão é cuidar bem dos interesses dos goianos. Como governador, minha obrigação é receber bem todas as novidades que vêm ao nosso Estado. Eu cumpri com a tradição dos goianos de receber bem a todos os seus convidados", voltou a dizer. "Eu tenho procurado fazer de tudo para que nosso Estado cresça acima da média brasileira. Às vezes sou mal compreendido", observou.


"Recebi um monte de xingamentos por tê-la recebido e recebido com respeito, mas eu tenho que cumprir a minha missão", disse ainda, em referência à presidente Dilma. "Mais importante do que meu interesse pessoal está o interesse do Estado de Goiás e estão os interesses dos goianos", reafirmou. Já na entrevista coletiva, disse também que trabalha para apresentar bom resultado para a população. "Também não me importa o que alguns radicais políticos dizem. O que importa é que nós estamos aqui, eu fui reeleito, e nós temos que apresentar um bom resultado à sociedade goiana. Eu quero ser julgado daqui a quatro anos pelos governos que realizei à frente do nosso Estado, com os avanços, com o desenvolvimento, com a justiça social, com o equilíbrio nas contas do Estado", afirmou.


Leia a íntegra das declarações do governador relacionadas ao assunto:


Lançamento do Festival Gastronômico de São Simão 2015


Discurso no Palácio das Esmeraldas


"Recentemente eu recebi aqui a presidente Dilma e a tratei com deferência, republicanismo e respeito. Muita gente me elogiou, muita gente me criticou. Não importa. O que está em jogo é o Estado de Goiás, é o povo de Goiás.


Às vezes, algumas pessoas, sem pensar direito, dizem que ‘o Marconi não poderia...’ . Como não posso? Eu cheguei à quarta eleição, porque tratei todos os prefeitos bem.


Eu nunca disse ao prefeito Márcio (Vasconcelos, PMDB) que daria algo se ele me apoiasse a governador. Mas acho que o tratamento foi tão correto, honesto e sério, que ele tomou a decisão de deixar o candidato do partido dele e me apoiar. Isso aconteceu com ele e com dezenas de prefeitos, que fizeram isso exatamente porque não olhei cores partidárias. Eu me preocupei com o povo, com as tradições, com o desenvolvimento do Estado. É assim que tem que ser.


Nós vivemos hoje uma crise enorme no Brasil. Crise moral, ética, política, econômica, social, desemprego. Vivemos uma crise danada de grande. Se nós não nos juntarmos, nós vamos ter muita dificuldade para enfrentar e vencer os desafios.


Nós estamos no quinto mês seguido com queda de receita. Eu imagino as prefeituras, que dependem também de fundo de participação, de ICMS.


É uma crise sem precedentes. Sou governador pela quarta vez e não me lembro de uma crise tão difícil quanto essa que estamos vivendo agora. Por isso nós temos que nos juntar, temos que viabilizar condições para realizarmos os nossos projetos.


Quando nos elegemos para um cargo, as pessoas esperam resultado rápido. As pessoas não têm paciência, e com razão. Eu fui candidato e as pessoas querem que eu resolva as coisas. Por isso a gente tem que ter muita inteligência, habilidade, respeito uns pelos outros, parcerias, união para que as coisas possam acontecer."


Anúncio do Serviço de Atendimento Móvel do Ipasgo

Discurso no Ipasgo


"Eu tenho procurado fazer de tudo para que nosso Estado cresça acima da média brasileira.


Às vezes sou mal compreendido. Recentemente, ao receber a presidente da República aqui, a recebi como chefe de Estado e ela como chefe da Nação. E eu não poderia ser grosso, não ia não comparecer. Recebi um monte de xingamentos por tê-la recebido e recebido com respeito, mas eu tenho que cumprir a minha missão. Mais importante do que meu interesse pessoal está o interesse do Estado de Goiás e estão os interesses dos goianos."


Coletiva no Ipasgo

Também não me importa o que alguns radicais políticos dizem. O que importa é que nós estamos aqui, eu fui reeleito, e nós temos que apresentar um bom resultado à sociedade goiana. Eu quero ser julgado daqui a quatro anos pelos governos que realizei à frente do nosso Estado, com os avanços, com o desenvolvimento, com a justiça social, com o equilíbrio nas contas do Estado. Enfim, é isso que me importa, é o resultado que vamos conseguir juntos para oferecer ao Estado de Goiás. Não governando com uma nota só, cuidando só de uma área. Não. Olhando e cuidando de todas as áreas. Isso é muito difícil. Você ter os olhos voltados para buscar a eficiência em todas as áreas. Nem sempre todas as áreas estão indo bem, e é preciso manter as que estão indo bem no caminho certo, e ir atrás de resolver os problemas que ainda existem. Essa é a boa gestão. Eu sou governador para fazer um governo eficiente, moderno, que transforme Goiás cada vez mais num Estado melhor para se viver e uma referência em todo o Brasil.

Professor Walter Paulo Presenteia Funcionários da Faculdade Padrão Com Ovos de Páscoa

A Páscoa é um doce momento capaz de produzir os mais belo sorriso no rosto de pessoas que se sentem felizes pelo simples fato de serem lembradas, abraçadas e presenteadas. Fazendo renascer e renovar laços de amizade e fraternidade.


É com esse sentimento que o professor Walter Paulo, mantenedor da Faculdade Padrão presenteia com um ovo de páscoa gigante, cada funcionário e colaborador da Faculdade Padrão. Uma tradição, que se repete todo ano, sempre provocando sorrisos e emoções.

Todos os funcionários e colaboradores da faculdade Padrão, recebem além do ovo de Páscoa, um cartão personalizado com uma mensagem assinada pelo professor Walter Paulo.

"A Páscoa é amor, fraternidade, união. Cristo morreu, mas ressuscitou, e fez isso somente para nos ensinar a matar nossos piores defeitos e ressuscitar as maiores virtudes sepultadas no íntimo de nossos corações. Que esta seja a verdade da sua e da nossa Páscoa! O meu desejo é que o seu domingo seja muito feliz e abençoado! E que eu possa continuar tendo uma amizade tão especial como a sua"

Alegria dos Funcionários 
Sandra Batista - Auxiliar de Serviços Gerais
O ovo de páscoa é um dos presentes mais gostosos que a pessoa pode receber. A auxiliar de serviços gerais Sandra Batista. Emocionada, com os olhos cheios de lágrimas,  recebe o ovo de páscoa e abre um lindo sorriso: 

"Todo ano é essa alegria em casa, as crianças ficam na expectativa e esperando eu chegar do trabalho com o ovo de páscoa. Quando chego com o ovo é uma verdadeira festa. Elas gritam, pulam e comemoram e fazem a maior festa. Olha só o tamanho! Não é um ovo de páscoa qualquer não. É um avo da Cacau Show. Tem cinco anos que trabalho aqui e 5 anos que ganho o ovo de Páscoa. O professor (Walter) tem um coração muito bom, ele nunca esquece da gente. É bom, muito bom receber um presente como este.  - Afirma Sandra Batista

A Páscoa


Cléo Costa - Coordenadora
A Páscoa é uma festa cristã que celebra a ressurreição de Jesus Cristo. Depois de morrer na cruz, seu corpo foi colocado em um sepulcro, onde ali permaneceu, até sua ressurreição, quando seu espírito e seu corpo foram reunificados.
É o dia santo mais importante da religião cristã, quando as pessoas vão às igrejas e participam de cerimônias religiosas.

Muitos costumes ligados ao período pascal originam-se dos festivais pagãos da primavera. Outros vêm da celebração do Pessach, ou Passover, a Páscoa judaica. É uma das mais importantes festas do calendário judaico, que é celebrada por 8 dias e comemora o êxodo dos israelitas do Egito durante o reinado do faraó Ramsés II, da escravidão para a liberdade. Um ritual de passagem, assim como a "passagem" de Cristo, da morte para a vida.

Professora Manina e Professor Jonhatan Augusto
No português, como em muitas outras línguas, a palavra Páscoa origina-se do hebraico Pessach. Os espanhóis chamam a festa de Pascua, os italianos de Pasqua e os franceses de Pâques.

A festa tradicional é associada à imagem do coelho, um símbolo de fertilidade, e ovos pintados com cores brilhantes, representando a luz solar, dados como presentes.

A origem do símbolo do coelho vem do fato de que os coelhos são notáveis por sua capacidade de reprodução. Como a Páscoa é ressurreição, é renascimento, nada melhor do que coelhos, para simbolizar a fertilidade!

A PÁSCOA NO MUNDO

Os festejos da Páscoa em todo o mundo possuem variações em suas origens e significados.

NA CHINA

O "Ching-Ming" é uma festividade que ocorre na mesma época da Páscoa, onde são visitados os túmulos dos ancestrais e feitas oferendas, em forma de refeições e doces, para deixá-los satisfeitos com os seus descendentes.

NA EUROPA

As origens da Páscoa remontam a bem longe, aos antigos rituais pagãos do início da primavera (que no Hemisfério Norte inicia - se em março). Nesses lugares, as tradições de Páscoa incluem a decoração de ovos cozidos e as brincadeiras com os ovos de Páscoa como, por exemplo, rolá-los ladeira abaixo, onde será vencedor aquele ovo que rolar mais longe sem quebrar.

NOS PAÍSES DA EUROPA ORIENTAL: UCRÂNIA, ESTÔNIA, LITUÂNIA E RÚSSIA.

A tradição mais forte é a decoração de ovos com os quais serão presenteados amigos e parentes. A tradição diz que, se as crianças forem bem comportadas na noite anterior ao domingo de Páscoa e deixarem um boné de tecido num lugar escondido, o coelho deixará doces e ovos coloridos nesses "ninhos".

NOS ESTADOS UNIDOS

A brincadeira mais tradicional ainda é a "caça ao ovo", onde ovos de chocolate são escondidos pelo quintal ou pela casa para serem descobertos pelas crianças na manhã de Páscoa. Em algumas cidades a "caça ao ovo" é um evento da comunidade e é usada uma praça pública para esconder os ovinhos.

NO BRASIL E AMÉRICA LATINA

O mais comum é as crianças montarem seus próprios ninhos de Páscoa, sejam de vime, madeira ou papelão, e enchê-los de palha ou papel picado. Os ninhos são deixados para o coelhinho colocar doces e ovinhos na madrugada de Páscoa. A "caça ao ovo" ou "caça ao cestinho" também é utilizada.

SÍMBOLOS DA PÁSCOA

Do hebreu Peseach, Páscoa significa a passagem da escravidão para a liberdade. É a maior festa do cristianismo e, naturalmente, de todos os cristãos, pois nela se comemora a Passagem de Cristo - "deste mundo para o Pai", da "morte para a vida", das "trevas para a luz".

Considerada, essencialmente, a Festa da Libertação, a Páscoa é uma das festas móveis do nosso calendário, vinda logo após a Quaresma e culminando na Vigília Pascal.

Entre os seus símbolos encontram-se os Ovos de Páscoa, o Círio Pascal, o Cordeiro Pascal, a Coelhinha da Páscoa, o Pão e o Vinho e a Cruz da Ressurreição.

Fonte: Diversos sites e blogs da Internet


OS BENEFÍCIOS DO CHOCOLATE

Professor Janúario

Se delicie com os chocolates na Páscoa e usufrua dos benefícios à saúde!

O chocolate é um alimento popular com diversas formas de apresentação. Pode ser bebido (chocolate em pó) com leite, ou em tabletes. Neste caso é apresentado em muitas versões: ao leite, branco, meio amargo, com amêndoas ou avelãs, com ou sem recheio, etc., variando em função do acréscimo em partes diferentes de seus componentes individuais e assim, varia também seu valor calórico, que em qualquer dos casos é elevado.

O chocolate amargo é feito com os grãos de cacau torrados sem adição de leite, e algumas versões permitem a sua utilização como base para sobremesas, bolos e bolachas. 
O chocolate preto deve usar um mínimo de 35% de cacau, segundo as normas européias. 
O chocolate ao leite ou chocolate de leite leva na sua confecção leite ou leite em pó. As normas européias estabelecem um mínimo de 25% de cacau.
O chocolate branco é feito com manteiga de cacau, leite, açúcar e lecitina, podendo ser acrescentados aromas de baunilha.

Inventado na Suíça após a I Guerra Mundial. Amado por uns e evitado por outros, o chocolate é alvo de diversos mitos. Dá espinhas, provoca alergias, diminui a Tensão Pré-Menstrual (TPM) e o mais temido por todos, engorda. Mas, o que pouca gente sabe é que ele é um alimento, sim, equilibrado do ponto e vista nutricional. Ele contém carboidratos (50%), gorduras (35%) e proteínas (15%). Quem despreza o alimento está enganado. Ele é rico em cálcio e ferro. Para se ter uma idéia, a quantidade de cálcio corresponde a 25% das necessidades diárias de uma mulher adulta e cerca de 40% de ferro. Os benefícios, entretanto, não isentam os consumidores do risco de engordar, portanto, é melhor comer com moderação e sempre acompanhado de outros alimentos na refeição. Explica a Dra. Nara Mattia, ginecologista e mastologista.

Boa notícia para os chocólatras

Professor Lorival Bastista
Estudo apresentado em reunião da Sociedade Britânica de Ciência, aponta o chocolate como fonte de flavonóides, compostos químicos que diminuem as chances de coagulação do sangue, principal causa de derrames e ataques cardíacos. A pesquisa mostrou que a quantidade dessas substâncias contida em uma pequena barra de chocolate preto equivale à concentração de flavonóides de seis maçãs, quatro xícaras e meia de chá, 22 copos de vinho branco ou dois copos de vinho tinto, tradicionalmente conhecido como protetor do coração.

O estudo reforça a teoria de que o cacau age da mesma forma que a aspirina, tornando o sangue mais fino e, portanto, dificultado a formação de trombos. 'Os resultados da pesquisa nos levam a crer que o chocolate contribui para a saúde, porém, dentro de uma dieta balanceada'.

Chocolate amargo faz bem à pressão arterial e ao coração

Um dos mais novos trabalhos sobre o assunto foi publicado no Journal of the American Medical Association, a revista da Associação Médica Americana. Segundo pesquisadores da Universidade de Colônia, na Alemanha, duas barras pequenas de chocolate amargo por dia podem baixar a pressão arterial de pessoas vítimas de hipertensão e diminuir, assim, riscos de infartos e derrames.

Os participantes do estudo tinham entre 55 e 64 anos, não recebiam tratamento medicamentoso para a pressão alta e foram acompanhados ao longo de duas semanas pelos médicos alemães. Ao término desse período, registrou-se uma queda de 5 pontos na pressão máxima, a sistólica, e de quase 2 pontos na mínima, a diastólica. O chocolate amargo é rico em flavonóides, a Dra Nara Mattia, explica que essa substância também é encontrada na casca da uva vermelha, e têm poderes antioxidantes, ou seja, combatem os radicais livres, as moléculas tóxicas que comprometem o bom funcionamento do organismo. Os flavonóides impedem o depósito de placas gordurosas nas artérias, causadoras de infarto e derrame. Outro poderoso antioxidante é o polifenol, encontrado em abundância no chocolate amargo. Esse composto mostrou-se eficaz no combate à hipertensão, um dos principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares.

Chocolate amargo também ajuda a combater fadiga crônica

Uma dose diária de chocolate amargo pode ajudar a reduzir os sintomas da Síndrome da Fadiga Crônica, apontaram cientistas britânicos. Pacientes que participaram de um estudo piloto realizado pela Hull York Medical School revelaram que ficaram menos cansados depois de comerem chocolate com alta concentração de cacau. A Síndrome da Fadiga Crônica é uma condição caracterizada por uma profunda fadiga muscular após esforços físicos. Os sintomas ainda incluem dor de cabeça, memória fraca, dificuldade de concentração, perturbação do sono e irritação. O chocolate amargo é rico em polifenol, que aumenta os níveis de serotonina no cérebro, que está associada ao combate da fadiga crônica.

Chocolate x Comportamento

Algumas pessoas usam chocolate como forma de auto-medicação para compensar a deficiência de alguns nutrientes, provavelmente o magnésio. Chocolate e cacau possuem uma excepcional concentração desse mineral (100mg/ 100g e 520mg/100g, respectivamente) e em alguns casos a suplementação do mesmo diminui as compulsões por chocolate, além de diminuir os sintomas da tensão pré-menstrual (TPM). Estresse estimula a secreção de mineralocorticóides e glicocorticóides, que juntos aumentam a excreção renal de magnésio. O resultado é a diminuição dos níveis de dopamina no SNC, um neurotransmissor que causa euforia e satisfação, então nesta situação aumenta a busca por chocolate.

O consumo de chocolate pode ser um mecanismo biológico para controlar a homeostasia de certos neurotransmissores envolvidos no apetite, fome, humor e vícios. Vários estudos concluíram que o mau–humor é comum em viciados, que por sua vez têm uma tendência em alimentar-se emocionalmente. Baixos níveis de serotonina têm sido associados à depressão, vícios, transtornos maníaco-obsessivos e compulsivos, ingestão de carboidratos, especialmente chocolate, para o aumento da ingesta de triptofano e produção de serotonina pelo cérebro. Noradrenalina induz à alimentação, serotonina estimula a saciedade e a dopamina modula as respostas alimentares.