Ministério Agricultura

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Polícia do Rio Grande do Sul Prende Duas Pessoas e Apresenta Versão Cheia de "Furos" Sobre a Execução de Poalla Avaly Corrêa

A reportagem do jornal Zero Hora informou que a polícia do Rio Grande do Sul já prendeu duas pessoas envolvidas na morte de Paolla Avaly Corrêa. Segundo a reportagem, a titular da 1ª Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher, delegada Tatiana Bastos, informou que as prisões temporárias foram decretadas e o cumprimento dos mandados ocorreu no sábado (19). Não foram reveladas as identidades, onde ocorreram as prisões nem informações mais detalhadas sobre a abordagem aos suspeitos, pois ambos colaboram com as investigações e correm risco de vida.

A delegada confessa que ainda não tem nada de concreto nas investigações

"Dizer alguma coisa concreta neste momento pode atrapalhar e muito a investigação que, ao mesmo tempo, é muito complicada e delicada. O que temos até agora são informes, depoimentos informais de pessoas que ajudam a polícia a tornar o que eles falaram confiável" — explica ela.

Segundo a delegada, na sexta-feira anterior ao crime, foi registrada entrada de Paola no Presídio Central para visitação. Lá, teria ocorrido discussão com o namorado e eles teriam terminado o relacionamento, conforme informações preliminares.

Contradição da polícia

Essa informação contradiz a informação da própria polícia, que havia informado anteriormente que a visita de Paolla ao namorado preso teria acorrido no dia 09/05, ou seja, uma quarta-feira. Sexta-feira foi dia 11/05. Agora a polícia precisa esclarecer como errou na data,  se a entrada de qualquer pessoa fica registrada no livro do presídio. Afinal,  Paolla visitou o Nathan Sirangelo dia 09 ou dia 11?

Ex-namorado, principal suspeito


De acordo com a Polícia Civil, o ex-namorado, principal suspeito de ordenar a execução de Paolla teria atraído a ex-namorada ao Presídio Central no domingo de Dia das Mães, onde ela nem teria chegado a entrar.

 É possível que ela tenha chegado na frente do presídio, mas as câmeras não estavam funcionando. Assim, não há nenhum registro da passagem dela em algum local antes da morte. É esse hiato que estamos tentando reconstruir. Só sabemos, por enquanto, que ela não foi sequestrada dentro da cadeia.  Afirma a delegada Tatiana.

Com essa declaração a delegada confessa que o sistema de segurança do presidio é falho e precário, pois,  além das câmeras não estarem em funcionamento, deixa a entender que Nathan está usando celular dentro do presidio, pois de que forma ele poderia atrai Paolla ao presidio,  se eles haviam brigado na sexta? 

De acordo com reportagem do Jornal Zero Hora,  o que a polícia tem como confirmado, é que quatro pessoas participaram do crime, mas a atuação de cada um na execução da jovem, que teria chegado amarrada ao local, já com a cova preparada, ainda é desconhecida. As investigações também apontam que, após ter saído de casa, Paola morou com um familiar do então namorado durante quatro dos sete meses em que deixou os familiares. A delegada no entanto não explicou a linha do tempo deste relacionamento, já que Nathan Sirangelo, estava  preso preventivamente  desde 2015, tendo sido julgado e condenado em 2017.

Ex-namorado, principal suspeito

De acordo com a Polícia Civil, o ex-namorado, principal suspeito de ordenar a execução de Paolla teria atraído a ex-namorada ao Presídio Central no domingo de Dia das Mães, onde ela nem teria chegado a entrar.

 É possível que ela tenha chegado na frente do presídio, mas as câmeras não estavam funcionando. Assim, não há nenhum registro da passagem dela em algum local antes da morte. É esse hiato que estamos tentando reconstruir. Só sabemos, por enquanto, que ela não foi sequestrada dentro da cadeia.  Afirma a delegada Tatiana.

Com essa declaração a delegada confessa que o sistema de segurança do presidio é falho e precário, pois,  além das câmeras não estarem em funcionamento, deixa a entender que Nathan está usando celular dentro do presidio, pois de que forma ele poderia atrai Paolla ao presidio,  se eles haviam brigado na sexta? 

De acordo com reportagem do Jornal Zero Hora,  o que a polícia tem como confirmado, é que quatro pessoas participaram do crime, mas a atuação de cada um na execução da jovem, que teria chegado amarrada ao local, já com a cova preparada, ainda é desconhecida. As investigações também apontam que, após ter saído de casa, Paola morou com um familiar do então namorado durante quatro dos sete meses em que deixou os familiares. A delegada no entanto não explicou a linha do tempo deste relacionamento, já que Nathan Sirangelo, estava  preso preventivamente  desde 2015, tendo sido julgado e condenado em 2017.

A delegada não está considerando ou não teve acesso a informações que circulam nas redes sociais que Paolla conheceu Nathan quando ele já estava preso, porque ela tinha um namorado, membro da facção criminosa "Bala na Cara (BNC) que esse sim,  era considerado seu marido e um dos lideres da facção.  Foi visitando seu namorado  na cadeia que Paolla  conheceu Nathan,  que também é membro da facção bala na cara. O namorado de Paolla foi colocado em liberdade e os dois se desentenderam por causa de Pammi_Pennz, conhecida também como Pammi_bandida, que também faz parte da facção bala na cara.

 Paolla  perdeu o namorado para Pammi e as duas trocaram insultos e ameaças pelo facebook.  Paolla passou a visitar Nathan na prisão e começou a namorar com ele. O ex namorado de Paolla postou foto dela pelada no grupo dos "leões"(Grupo dos traficantes bala na cara (BNC). Paolla não gostou e postou o texto no facebook dela, chamado o ex de corno. "

"Meu ex botando foto minha no grupo dos Leão hahahahaha otariooooooo nem de ex marido um chá de bosta desses da pra chamar ne que ex é esse ne que bota foto tua só pq tu não quis mais ele pq apanhava passava horrores na mao dele ne vai otário bota msm manda eles bota tudo no face gosto de causa impacto acha que me abalo uma hora todo mundo esquece e otário pia de merda foi vc cornoooooooooooooo"


 O texto que ela postou foi para o ex namorado e não para o Nathan. Não faz sentido você postar  uma mensagem irada, chamando uma pessoa de corno e horas depois você ir na prisão visitá-lo.

 Tenho impressão que a delegada está completamente perdida na investigação ou passando informação falsa para a imprensa. Se eu que estou a mais de 2.000 (Dois mil) km de distância,  sei destas informações, como ela que investiga o caso não sabe? Não estou dizendo que essa seja a verdadeira história, mas é no mínimo uma história que precisa ser investigada para saber se tem fundamento ou não. Basta checar quem Paolla visitava na cadeia antes de Nathan para se descobrir quem era o ex-dela, ou até mesmo quem é o atual namorado de Pammi.

Essa versão faz mais sentido do que a apresentada até agora pela polícia.

No momento que foi se deitar na cova, Paolla olha para quem estava filmando e pede desculpa. Basta prestar atenção na filmagem e fazer a leitura labial. Ela não poderia pedir desculpas para Nathan que está preso, então logo podemos deduzir que o texto não era pra ele e faz mais sentido que seja mesmo para o ex-namorado. 

Delegada da Mulher
Na reportagem tem a informação que por volta de 4h45min de domingo (13), Paola fez postagem no Facebook afirmando que seu ex-marido teria colocado foto sua em um grupo de troca de mensagens atribuído a traficantes de uma das maiores facções do Rio Grande do Sul. No texto, a jovem diz que "apanhava horrores" dele. A delegada não confirma se a morte teria relação com o que a a vítima escreveu, ou a motivação seria pela separação do casal. 

A pergunta é, como uma pessoa que está presa desde 2015 e quando ele foi preso Paolla tinha apenas 15 anos. Como alguém preso pode bater em uma mulher? De acordo com informações da irmã de Paolla, apenas 7 meses atrás,  foi que Paolla saiu de casa e quando ela saiu de casa,  o namorado já estava preso.


— O que temos, inicialmente, é só uma discussão familiar, nada que indique realmente uma motivação para a ação — disse a delegada a reportagem ao jornal Zero Hora.

Em resumo, a impressão que passa é que a delegada está perdida nas investigações, trabalhando apenas em cima de uma versão. A história apresentada até agora tem muitos furos e perguntas sem respostas. Espero que a Polícia do Rio Grande do Sul seja competente para responder todas elas e  elucidar o crime.  


domingo, 20 de maio de 2018

Caso Paolla Avaly Corrêa: O Que a Polícia Sabe e o Que Não Sabe Sobre a Execução Que Chocou o Brasil

A execução de Paolla Avaly Corrêa chocou o Brasil, pela crueldade. O vídeo gravado da execução mostra claramente que não se trata de um crime comum. Com mãos amarradas e dentro de uma cova, ela foi executada com tiros na cara. O caso que  estava sendo investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa de Porto Alegre,  foi considerado feminicídio com poucas horas de investigação e passou a ser investigado pela Delegada  Tatiana Barreira Bastos,  da Delegacia da Mulher de Porto Alegre.

O que a polícia sabe e divulgou

Segundo a delegada Tatiana Bastos, Paolla foi vítima de feminicídio,  baseado em um texto publicado no facebook dela,  onde ela teria exposto a virilidade de seu namorado, chamando-o de corno e por este motivo ela teria morrido.

Acompanhe o que postou Paolla

"Meu ex botando foto minha no grupo dos Leão hahahahaha otariooooooo nem de ex marido um chá de bosta desses da pra chamar ne que ex é esse ne que bota foto tua só pq tu não quis mais ele pq apanhava passava horrores na mao dele ne vai otário bota msm manda eles bota tudo no face gosto de causa impacto acha que me abalo uma hora todo mundo esquece e otário pia de merda foi vc cornoooooooooooooo"

O Que a Polícia Precisa Esclarecer

A Definição de que foi um feminicídio pode ser o primeiro erro na investigação. Como repórter com 30 anos de profissão e já experiente em casos de investigação policial, uma das primeiras coisas que aprendi é que a policia nunca pode descartar nenhuma linha de investigação. Chegar a uma convicção antes de investigação mais aprofundada,  pode levar ao erro de ter que trabalhar para provar uma tese de um crime que pode não ser a verdadeira.

No caso de Paolla um erro de interpretação do texto, pode ter levado a polícia a cometer um erro de definição de um crime. 

Veja por exemplo, de acordo com informações que obtivemos também em redes sociais, a  mensagem que Paolla postou não foi para o namorado que está preso, Nathan Sirangelo,  e sim para um ex namorado, membro de uma facção rival da facção que Nathan faz parte, os BALA NA CARA.  Esse simples erro de interpretação, mudaria toda a história do crime.

Segundo informações que circulam no whatsapp, o ex namorado descobriu que Paolla estava visitando o Nathan no presídio  e  para se vingar postou foto dele com ela na cama para mostrar que ele também "pegava" ela. 

 
O namoro com o Nathan era recente, embora esteja preso e possa ter acesso a celular, a foto que foi postada, mostra ela na cama com o ex, que é rival da facção bala na cara. Este fato expôs ela por estar se relacionando com membros de duas facções rivais, por isso ela foi visitar o Nathan no domingo.

Logo fica claro que o texto não era para o Nathan, porque ele está preso desde o ano passado e somente recentemente ela começou a visita-lo na prisão. Além disso, ela diz que o ex era violento e batida nela, convenhamos, como alguém preso vai bater em uma mulher que vai visita-lo? Que pessoa iria chamar alguém que está preso de corno e poucas horas depois iria visita-lo? 

De acordo com informações que o blog teve acesso, o  líder da facção bala na cara, sabendo que Paolla se relacionava com membros da facção rival,  foi quem deu a ordem para intercepta-lá na frente do presídio.

 O Nathan provavelmente não ficou sabendo de nada se não tiver celular na prisão. O que derruba a tese de crime de feminicídio. Essa linha de investigação não pode ser descartada pela polícia sob pena de comprometer todo o trabalho da investigação. 

PAMMI_PENNZ


Outra vertente do crime de execução que precisa ser considerada é sobre uma rival de Paolla que vinha fazendo ameaças através do Facebook. 
Pammi_Pennz ou Pammi_Bandida como se intitulava fez várias postagens ameaçando Paolla e logo após a morte de Paolla ela excluiu o seu Facebook,  em uma atitude bastante suspeita. 

Paolla pediu desculpa 

No momento em que iria ser executada Paolla olha para a pessoa que estava filmando com um celular e pede desculpa. Basta observar com atenção e fazer a leitura labial dela. A pergunta é: para quem Paolla estava pedindo desculpa? Seria um pedido de desculpa para Pammi, em uma última tentativa de salvar sua vida? A execução com tiros na cara é uma das características da facção bala na cara.

Mensagens no Facebook

Muita gente estranhou o fato de Paolla ter ficado muito sem fazer postagem no facebook, a última foi no dia 15 de março, mas na noite que teoricamente antecedeu seu desaparecimento, ela passou a madrugada inteira fazendo postagem. Levantando suspeita que não teria sido ela, mas sim alguma pessoa que estivesse usando seu celular. A irmã de Paolla confirmou que havia falando com ela por telefone na sexta e que no domingo elas passariam o dia com a mãe para comemorar o dia das mães. No domingo pela manhã a irmã de Paolla ligou pra ela, mas o telefone já estava desligado. Como a execução aconteceu durante o dia, como mostra a filmagem, fica a pergunta,   Paolla foi executada no sábado ou no domingo?  Se foi no sábado,  então as postagens não são dela. Tese está que é constestada  pela própria polícia que afirma que Paolla estava indo visitar Nathan no domingo,  quando foi raptada por seus algozes. A visita ao presídio no domingo e relatada pelo ex de Paolla em conversas no whatsapp. Se ela estava viva no domingo, logo foi ela mesma que postou as mensagens no Facebook. 

 Em resumo, ainda existem muitas perguntas sem respostas e somente um trabalho de investigação bem feito, pode esclarecer esse crime bárbaro. 

Nos próximos dias vamos saber se a polícia civil do Rio Grande do Sul estará mesmo empenhada em elucidar o crime ou se esse será mais um, entre tantos outros, sem solução.

Boatos.org investigou e concluiu que o áudio atribuido a Paolla Avaly Corrêa,  não foi gravado por ela

Veja a reportagem

Nos últimos dias, um vídeo brutal começou a viralizar no WhatsApp. Ele mostrava uma jovem sendo executada em uma cova rasa com dois tiros. Um dos motivos que fez o vídeo (que obviamente não será divulgado aqui) se espalhar na internet foi uma “lição de moral” que o acompanha.
Junto à filmagem, imagens da jovem e um áudio começaram a circular. No áudio, a moça que morreu teria relatado que só namora pessoas com problemas na justiça. Escute o áudio (preste atenção no sotaque, ele será decisivo no desmentido), leia a transcrição dele e um texto que o acompanha (em algumas versões):
Transcrição: É que pra me pegar tem que ter, no mínimo, três passagens. E se quiser namorar comigo, namorar sério, tem que ter, pelo menos, um homicídio, um 33 de tráfico. Entendeu tem que andar todo dia de Billy mesmo, tem que falar só na vinheta. Entendeu? Minha molequinha, essas coisas Se vim conversar comigo normal ou com outras conversas, não me pega não. Você sabe. Não dá, eu não consigo amiga. Não consigo namorar se ele não falar que vai raspar a minha cabeça, se ele não ameaçar colocar fogo em mim, se ele não querer me dar umas facadas quando tiver com ciúme. Pra mim não dá.
Versão 1: olha o que acontece com marmita de bandido que significa (mulher que so namora vagabundo ). Versão 2: Tá aí pra quem gosta de namorar com Bandido Sou contra qualquer forma de violência, compartilhei este vídeo para alertar as jovens.. Que Deus tenha misericórdia da família que agora chora a sua morte. Versão 3: Infelizmente vim alerta as meninas que gosta de bandidos. O fim é esse um dia tudo chega ao seu fim, Deus console a família
Mulher assassinada em cova gravou áudio dizendo que só namora bandido?
Como dito antes, as imagens da morte da jovem, as fotos dela e o áudio se espalharam muito na internet. Mas será mesmo que a pessoa que morreu gravou um áudio dizendo que só “pega” quem tem três passagens pela polícia e só namora bandido que já cometeu homicídio? A resposta é não. Para você entender tudo, vamos aos fatos.
Para desvendar a (não) ligação entre o assassinato e o áudio, tivemos que buscar mais detalhes do caso. Infelizmente, a morte da jovem é real. Trata-se de Paola Avaly Corrêa, de 18 anos. Moradora de Porto Alegre, ela desapareceu em 13 de maio de 2018 e foi identificada pela família no vídeo. O corpo dela foi encontrado na capital gaúcha no dia 18 de maio.
Ainda há investigações em curso no caso, mas se suspeita que o homicídio foi fruto de desavenças dela com o ex-marido (de fato, um presidiário) e com uma mulher. Vamos deixar as investigações do assassinato para a polícia e o julgamento de o que ela fez ou não fez na vida para o “tribunal da internet” e vamos focar no ponto. O áudio que está “patrocinando” o vídeo não é dela.
O primeiro ponto que mostra que Paola não é a autora do áudio está nas próprias fontes da informação. Apesar de a imprensa ter noticiado a morte dela, apenas sites que publicam fake news e usuários do WhatsApp e Facebook atribuíram o áudio a ela. Detalhe: o áudio começou a circular alguns dias após a publicação do vídeo (e como dito, ajudou ele a se espalhar). Com isso, já dá para desconfiar da história.
A verdade veio à tona com uma análise mais aprofundada do conteúdo. Note que Paola era moradora de Porto Alegre. Quem conhece o Sul sabe que o sotaque dos porto-alegrenses é muito característico. De maneira alguma, Paola falaria “minha molequinha” (falaria minha guriazinha), “você sabe” (falaria tu sabe) e tampouco teria o sotaque (note no “r” do “conversar” e “normal”). O sotaque se assemelha ao de estados do Sudeste ou Centro-Oeste. Nunca, mas nunca do Rio Grande do Sul.
A prova final de que a jovem assassinada não falaria daquele jeito está em mensagens escritas em redes sociais. Além das mensagens comprometerem algumas pessoas (e ter centenas de comentários imbecis por parte de quem não respeita uma pessoa que morreu), elas mostram que o linguajar dela não se assemelha ao da gravação.
Note que há gírias, mas são totalmente diferentes (você só vai entender se morou no Rio Grande do Sul durante a adolescência como esse editor que vos fala) como “te fraga”, “ratia”, “piá de m…” e, como falamos antes, guria. Pode ter certeza de que se o áudio fosse dela, seria muito diferente.
Resumindo: o desfecho da história da jovem Paola Avaly Corrêa é triste. O vídeo é verdadeiro e, de fato, ela tinha um relacionamento com um presidiário. Porém, o áudio que circula no nome dela é falso. Estão tentando criar uma “lição de moral” na história com um conteúdo que não foi gravado por ela

Mensagens no WhatsApp Afirmam Que Facção Criminosa Bala na Cara Executou Paolla Avaly Corrêa

A fação criminosa denominada "Bala na Cara" foi a responsável pela morte de Paolla Avaly Corrêa de acordo com relatos em grupos de whatsapp,  com mensagens trocadas por membros facção. 

As mensagens já estão em poder do diretor do departamento de Homícidio e proteção a pessoa, delegado Gabriel Bica, no entanto quem está presidindo o inquérito é   a delegada   Tatiana Bastos da Delegacia da Mulher de Porto Alegre   que ainda não se pronunciou oficialmente sobre as investigações.

As mensagens deixam a entender que Paolla foi executada por causa de rixa entre fações criminosas. O uso excessivo de gírias impedem uma interpretação do texto de forma limpa.



Acompanhe o relato das conversas, onde eles começam falando da morte da Paolla.

- Sério
- Eu sei
- Que merda
-Ahaa
- Paolla
- Dava pra mim pá oto gurizão ale do taba dps começou tava pá i vê gurizão no sistema.
 Deu mole os nego agarraram
BA mãe dela era tri dasminha

As mensagens deixam a entender que Paolla estava se relacionando com duas pessoas de uma facção, rival da facção bala na cara. O relato diz que ela começou a se envolver com um membro da facção dos bala na cara que tava preso e começou a fazer leva e traz e isso teria despertado a fúria da fação bala na cara que ordenou a execução dela.
















sábado, 19 de maio de 2018

Neymar manda carta escrita à mão para garota assassinada e comove o mundo


Neymar Júnior é, sem dúvida alguma, um dos maiores talentos do futebol de todos os tempos. O jogador será sempre lembrado por suas jogadas incríveis, dezenas de gols e também pelo bom coração. O Menino da Vila cresceu e encantou o mundo com um futebol alegre, se destacou ainda muito jovem e ganhou o mundo.

Saiu da base do Santos e foi direto para um dos times mais amados do mundo o Barcelona. Lá também se tornou ídolo, levantou taças, ganhou campeonatos e depois alçou voo da Espanha para a França, onde hoje defende as cores do PSG (Paris Saint-Germain Football Club).

Neymar é titular da Seleção Brasileira e do coração da atriz Bruna Marquezine, com quem vive um romance de idas e vindas, mas que, ao que tudo indica, neste momento estão muito bem e o namoro vai de vento em popa.

Neymar já está confirmado para a Copa do Mundo de Futebol 2018, que será sediada na Rússia e começa no dia 14 de junho. O craque acabou de voltar ao campos, depois de ficar afastado por aproximadamente dois meses depois de passar por uma cirurgia no pé direito, que foi realizada no dia 1º de março, em Belo Horizonte (MG).
Carta para adolescente assassinada

De acordo com o site de notícias TV Foco, o jogador do PSG comoveu o mundo inteiro depois de tomar uma nobre atitude. Neymar escreveu à mão uma carta direcionada a uma fã adolescente que foi encontrada morta no último dia 25 de abril, em Wambrechies, uma pequena cidade no Norte da França.
Comoção internacional

Neymar, que é pai de Davi Lucca, de 6 anos, ficou bastante tocado com a morte brutal de Angélique Six, de apenas 13 anos de idade.

Em uma das imagens da garota divulgada pela imprensa francesa, ela aparece vestida com a camisa do PSG de Neymar, o que chamou bastante a atenção do jogador. Foi então que ele resolveu enviar a carta para a família de Angélique.

A irmã da vítima é que tornou a história pública ao postar em uma rede social um agradecimento emocionado ao craque com a imagem da irmã e da carta escrita pelo craque. Veja o que escreveu Neymar: “Doce Angélique, vi nessa foto que você usava minha camisa. Foi uma emoção tão forte que sempre irei guardar no meu coração esse maravilhoso sorriso. O paraíso será a sua residência eterna. Que Deus abençoe você e sua família. Descansa em paz”. Confira:


A irmã da jovem assassinada também agradeceu ao jogador pelo carinho e atenção dada a sua família. "Um grande obrigado ao PSG e ao nosso ídolo Neymar por essa homenagem a minha irmãzinha”, postou.

O caso ganhou repercussão internacional e comoveu pessoas em todo o mundo. A mensagem da irmã de Angélique já foi compartilhada milhares de vezes nas redes sociais.


Seleção Brasileira

Neymar se apresenta na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), nesta segunda-feira (21) para iniciar os treinos com o grupo que vai disputar a Copa do Mundo da Rússia. O atacante será o camisa 10 da Seleção Brasileira no Mundial. O time do técnico Tite estreia dia 17 de junho, contra a Suíça. Antes, faz amistosos contra a Croácia, em Liverpool, na Inglaterra, e em Viena, na Áustria.

Marginal de 13 Anos Que Matou Advogada Laís Fernanda Já Tinha Seis Passagens Pela Polícia

A Polícia Militar apresentou na tarde deste sábado (19) os bandidos que assassinaram  a advogada Laís Fernanda Araújo Silva, de 30 anos, na noite do último dia 10 de maio, no Setor Alto da Glória, em Goiânia.  O crime foi praticado por um adolescente de 13 anos que já tinha seis passagens pela policia. 
O menor assassino,   outro menor de 17 anos e uma mulher, Luziane Ramos de Souza , 22, foram localizados hoje pela manhã em uma residência no Setor Balneário Meia Ponte, na região Norte da capital.
Em vídeo gravado pela PM, o adolescente de 13 confessou ser o o autor dos disparos que mataram a advogada. O menor também assumiu que já esteve apreendido cinco vezes por roubo e uma por receptação.


Vila Nova - Primeiro Parou de Vencer, Agora Perdeu a Invencibilidade

Depois do inicio anormal no campeonato brasileiro da série B, o Vila Nova vai aos poucos voltando a sua realidade. Primeiro parou de vencer ao empatar com a Ponte Preta em casa, essa mesma Ponte que foi derrotada pelo Atlético em Bragança Paulista e na tarde deste sábado o Vila Nova perdeu a invencibilidade na competição ao ser derrotado pelo  Oeste pelo placar de 2x0 em Barueri, um time que estava próximo a zona do rebaixamento.

O Vila Nova nem parecia um time do G4, foi totalmente dominado  e só saiu mais para o jogo após sofreu o primeiro gol mesmo assim de forma tímida. 

 Com a derrota o Vila Nova caiu para 3ª posição e o próximo jogo será contra um concorrente direto, Coritiba, em Curitiba.


Zebra Rubra Negra: Vitoria Espetacular do Atlético Contra a Ponte Preta

O Atlético foi protagonista de uma vitória de virada espetacular contra a Ponte Preta em Bragança Paulista.

Depois de um primeiro tempo de um time absolutamente defensivo, refém do adversário, o Atlético foi para o vestiário com a derrota parcial de 1x0, mas literalmente foi outro time no segundo tempo, com uma postura bem diferente, foi ousado, tomou a iniciativa do jogo, passou a jogar futebol ao invés de rifar a bola e construiu uma vitoria gigantesca, contra a favorita Ponte Preta.

A vitória serve para levantar a auto estima do jogadores e deixou claro que se for o futebol do primeiro tempo, o Atlético não vai passar de um mero participante, no entanto, se conseguir repetir o futebol do segundo tempo, tem grandes chances de brigar por uma vaga de acesso para série A.

Essa foi a primeira vitória do Atlético fora de casa, com vitória chega a 10 pontos, ocupando momentaneamente a 6ª posição. O próximo jogo do Atlético será contra o Oeste, sexta-feira, dia 25/05, no estádio Olímpico em Goiânia.

Menor de 13 Anos Confessa Ter Matado Advogada Laís Fernada

A Polícia Militar localizou neste sábado (19/5) três suspeitos de estarem envolvidos no assassinato da advogada Laís Fernanda Araújo Silva, de 30 anos. De acordo com a corporação, foram presos dois menores, de 13 e 17 anos, e uma mulher.

Segundo informações preliminares, o menor de 13 anos confessou ter sido o autor do disparo que atingiu a advogada no último dia 10.
Laís foi morta a tiros enquanto tentava estacionar o carro Setor Alto da Glória, em Goiânia.

A Polícia Militar apresentou na tarde deste sábado (19) os bandidos que assassinaram  a advogada Laís Fernanda Araújo Silva, de 30 anos, na noite do último dia 10 de maio, no Setor Alto da Glória, em Goiânia.  O crime foi praticado por um adolescente de 13 anos que já tinha seis passagens pela policia. 
O menor assassino,   outro menor de 17 anos e uma mulher, Luziane Ramos de Souza , 22, foram localizados hoje pela manhã em uma residência no Setor Balneário Meia Ponte, na região Norte da capital.
Em vídeo gravado pela PM, o adolescente de 13 confessou ser o o autor dos disparos que mataram a advogada. O menor também assumiu que já esteve apreendido cinco vezes por roubo e uma por receptação.

Polícia Prende Assassinos da Advogada Laís Fernanda

As forças policiais de Goiás prenderam hoje os suspeitos pelo homicídio da advogada Laís Fernanda Araujo Silva, ocorrido há uma semana, em Goiânia. Haverá coletiva as 15 horas na DEIC.


O Caso

Laís Fernada foi morta a tiros, na noite de quinta-feira (10), enquanto procurava uma vaga para estacionar, no Setor Alto da Glória, em Goiânia. Segundo a Polícia Civil, Laís Fernanda Araújo Silva estava dentro do carro quando foi abordada por dois homens. A suspeita inicial é que a dupla pretendia roubar o veículo. 


O caso ocorreu por volta de 22h30, no Setor Alto da Glória, na região sul da capital. Para a polícia, a advogada pode ter se assustado com os criminosos e acabou baleada quando tentava sair do carro, um Honda Fit. O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas Laís não resistiu e morreu no local do crime.

A Polícia Militar apresentou na tarde deste sábado (19) os bandidos que assassinaram  a advogada Laís Fernanda Araújo Silva, de 30 anos, na noite do último dia 10 de maio, no Setor Alto da Glória, em Goiânia.  O crime foi praticado por um adolescente de 13 anos que já tinha seis passagens pela policia. 
O menor assassino,   outro menor de 17 anos e uma mulher, Luziane Ramos de Souza , 22, foram localizados hoje pela manhã em uma residência no Setor Balneário Meia Ponte, na região Norte da capital.
Em vídeo gravado pela PM, o adolescente de 13 confessou ser o o autor dos disparos que mataram a advogada. O menor também assumiu que já esteve apreendido cinco vezes por roubo e uma por receptação.