Ministério Agricultura

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Marconi viabiliza projeto que financia bolsa de mestrado na Inglaterra


 “Quero agradecer ao governador Marconi Perillo por sua atitude de valorização da ciência, porque sua iniciativa vai culminar em desenvolvimento econômico e social para o nosso país”, disse o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia, Lázaro Cunha

 Governo de Goiás, em parceria com o Fundo Newton e fundações de amparo à pesquisa, vai investir R$ 1,6 milhão em bolsas de estudo.

 “Essa parceria é referência para o Brasil e o mundo”, disse presidente da Fapeg, Maria Zaira Turchi

O governador Marconi Perillo parabenizou os 10 pesquisadores selecionados para a bolsa de Mestrado no Reino Unido, direcionada a grupos sub-representados na ciência, em solenidade realizada na manhã desta terça-feira (18), no 10º andar do Palácio Pedro Ludovico Teixeira. Os contemplados são de Goiás (6), Paraíba (2) e Bahia (2). O Governo de Goiás, a Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapeg), o Fundo Newton, o British Council e as Fundações de Amparo à Pesquisa da Bahia e Paraíba vão investir cerca de R$ 1,6 milhão no projeto-piloto.
O mestrado tem como objetivo fortalecer a participação de grupos sub-representados (minorias étnicas e pesquisadores de ciência e inovação no Brasil) no meio científico, além de influenciar políticas inclusivas. “Essa parceria é referência para o Brasil e o mundo. O apoio do governador Marconi Perillo à pesquisa está gerando frutos nas áreas da educação, ciência e inclusão social”, salientou a presidente da Fapeg, Maria Zaira Turchi. Marconi agradeceu os representantes das universidades e instituições de pesquisa “pela convergência de esforços, de ações e de iniciativas”, que visam contemplar a diversidade e a inclusão através da ciência.

A iniciativa visa também apoiar o ambiente científico e de inovação no Brasil. “Nós estamos celebrando nesse dia o florescimento, o amadurecimento e a existência das nossas Fundações de Amparo à Pesquisa”, disse o governador, ao lembrar que a Fundação de Amparo à Pesquisa de Goiás foi criada em 2005.

O valor da bolsa individual é de até 40 mil Libras, totalizando 400 mil Libras, o equivalente R$ 1,6 milhão, com financiamento das Fundações de Amparo à Pesquisa e o Fundo Newton. “Como mulher negra eu quero ressaltar que esse curso é muito importante para adquirirmos conhecimento e darmos mais visibilidade às mulheres, em especial as negras. Eu estou numa posição privilegiada, mas não posso, jamais, me esquecer de onde eu vim, e onde quero chegar”, declarou a bolsista Maria das Neves Jardim de Deus, formada em Letras.
O programa será realizado em quatro fases: curso de inglês e preparação para o exame IELTS no Brasil; curso de inglês no Reino Unido; mestrado no Reino Unido; e atividades de disseminação de impacto. “Eu quero agradecer ao governador Marconi Perillo por sua atitude de valorização da ciência, porque sua iniciativa vai culminar em desenvolvimento econômico e social para o nosso país”, lembrou o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia, Lázaro Cunha.

Contemplada entre os seis candidatos que serão co-financiados pela Fapeg, em Goiás, Ayanda Dantas Silva acredita que essa formação deverá contribuir mais ainda à sua carreira e ao trabalho que pretende desenvolver no futuro. “É um projeto bastante inspirador. Penso que não vou agregar apenas o conhecimento para mim, mas também para as futuras gerações e para esse investimento em ciência e em pesquisa. Já fui em um projeto de intercâmbio pelo Ciência Sem Fronteiras e, agora, com essa ação, acredito que poderei evoluir ainda mais esse conhecimento e ir além”, salientou.

Essa inspiração também é compartilhada pela bolsista Kivia Vieira, contemplada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb). “Estou muito animada, porque nunca havia pensado que eu pudesse desenvolver determinadas ferramentas e agora sei que terei o apoio e oportunidade com essa bolsa. Vou ter contato com profissionais maravilhosos que vão contribuir muito para minha carreira acadêmica e tenho certeza que a minha pesquisa vai ser importantíssima para o conhecimento científico”, acrescentou. Kivia, que é da área de Geologia, também alertou para a participação da mulher na pesquisa na área de Exatas e da Terra. “Geralmente, a participação da mulher nessas áreas não é comum. No entanto, essa representação vem crescendo e me sinto orgulhosa por fazer parte dessa ação afirmativa, para poder mostrar para minhas colegas que somos capazes, que podemos fazer o que quisermos e contribuir muito para a ciência”, completou.



British Council

O British Coucil é uma organização internacional do Reino Unido que busca estabelecer a troca de experiências e intercâmbio de conhecimento nos mais de 100 países em que está presente. “Esse número de beneficiados é simbólico, mas demonstra esforço para suprir uma lacuna que existe no meio científico. Queremos ampliar esse projeto-piloto e dizer que essa é a oportunidade dos contemplados estudarem nas melhores universidades do mundo, em contato com gente do mundo inteiro”, pontuou o diretor do British Council no Brasil, Martin Dowle, que lembrou ainda que 32 universidades britânicas vão oferecer hospedagem aos pesquisadores.



Fundo Newton

Lançado no Brasil pelo ministro das Finanças britânico, George Osbourne, em 2014, o Fundo Newton de fomento à pesquisa e inovação em países emergente investirá 735 milhões de Libras em 15 países. No Brasil, devem ser investidos, até 2021, 45 milhões de Libras. O fundo é parte do compromisso do Reino Unido em promover iniciativas que fortaleçam o desenvolvimento social e econômico de países emergentes.

Nenhum comentário: