sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Governo tranquiliza forças de segurança pública quanto à PEC do ajuste fiscal


Segmentos não serão prejudicadas com a aprovação da matéria que tramita na Assembleia Legislativa, destaca secretário da Casa Civil, João Furtado, durante reunião com secretários de Segurança Pública, Edson Costa, Gestão e Planejamento, Joaquim Mesquita, e representantes da PM e Polícia Civil

O secretário da Casa Civil, João Furtado, acompanhado dos secretários da Segurança Pública, Edson Costa, e da Gestão e Planejamento, Joaquim Mesquita, participou na quarta-feira (15/02), de reuniões com dirigentes e representantes de entidades de servidores das Polícias Militar, Bombeiros Militares e Polícia Civil. Furtado tranquilizou a todos em relação à Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 3548/16, que está em tramitação na Assembleia Legislativa e limita os gastos correntes dos Poderes do Estado e dos órgãos governamentais autônomos. Ele ressaltou que as forças policiais não serão prejudicadas com a aprovação da matéria.

“O Governo fez uma escolha ao propor esta PEC, que é a de priorizar as forças de segurança pública do Estado”, destacou o secretário da Casa Civil nas duas reuniões realizadas. No primeiro encontro, também estavam presentes o comandante geral da Polícia Militar, coronel Divino Alves, e o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Carlos Helbingen. Participaram da reunião representantes de entidades de servidores militares, entre elas as associações de Cabos e Soldados, dos Subtenentes e Sargentos, dos Oficiais, dos Oficiais de Reserva e da União dos Militares de Goiás (Unimi), além da Associação de Pensionistas da PM.

O secretário da Casa Civil destacou que a proposta de emenda orçamentária não prevê redefinição do efetivo da Polícia Militar e não restringe a realização de concursos públicos neste segmento. Ele se mostrou aberto a receber propostas das entidades representativas de servidores militares no que diz respeito à data de promoção de praças e oficiais.

Polícia Civil

Na reunião com os representantes de entidades de servidores da Polícia Civil, realizada em seguida ao encontro com os representantes da PM, João Furtado reafirmou a prioridade que o Governo do Estado está dispensando aos agentes da segurança do Estado. “O Governo sabe da importância deste setor, do papel desempenhado pelos policiais”, disse. Ele orientou os representantes dos servidores da Polícia Civil a encaminhar suas propostas de progressão das respectivas categorias para o Conselho Estadual de Políticas Salariais e Recursos Humanos (Consind) da Segplan.

Segundo Furtado, ao receber os dirigentes das associações de servidores das polícias militar e civil, com a presença de três secretários de Estado, o Governo de Goiás demonstra sua disposição para com a interlocução e o debate, no que diz respeito aos anseios e reivindicações destas categorias, numa postura democrática e transparente.

LEGENDA PARA FOTOS: CASA CIVIL

O secretário da Casa Civil, João Furtado, acompanhado dos secretários da Segurança Pública, Edson Costa, e da Gestão e Planejamento, Joaquim Mesquita, em reuniões com dirigentes e representantes de entidades de servidores das Polícias Militar, Bombeiros Militares e Polícia Civil: “O Governo fez uma escolha ao propor esta PEC, que é a de priorizar as forças de segurança pública do Estado”